terça-feira, 20 de setembro de 2016

De Graça e Graciosamente


Por: Costa Pereira - Portugal, minha terra
A tipuana é uma arvore de folha caduca, originária da Argentina e Bolívia. Da família das fabaceaes, o seu nome cientifico é Tipuana tipu (Benth), e o nome vulgar é tipuana, acácia Draco. Árvore florífera, de copa densa e ampla, o seu tronco de superfície rugosa e cor cinzenta escura, e uma folhagem grande, composta por numerosos folíolos oblongos e verdes, dão a esta árvore o direito a pontificar nos mais belos jardins e arruamentos públicos das grandes cidades americanas e europeias. De crescimento rápido, não se aconselha que “seja utilizada na arborização de calçadas, estacionamentos, residências e canteiros centrais, devido às características especificas da planta”.
 No paisagismo, por ser uma árvore bela e frondosa, a tipuana, é ideal para cultivar em espaços grandes. A sua floração dá-se no período Junho-Agosto. A tipuana, com as flores amareladas, é uma das árvores que anuncia a chegada do Verão.
Dado o seu grande porte, e a agressividade das suas raízes, como também a fragilidade de sua madeira, sobretudo nos troncos e ramos mais idosos, ultimamente a tipuana tem vindo a ser preterida em favor doutras espécies. Foi no Jardim Botânico do Funchal que descobri o nome desta árvore que tenho à porta da minha residência, mas desconhecia a sua designação. Mais contente fiquei por saber que é da família das mimosas ou acácias. E se não inça como elas, pelo menos no que toca a dar cabo dos canteiros, e dos carros se estiverem estacionados e calhe esgalhar uma pernada, como há pouco aconteceu aqui, a tipuana mais por culpa de quem ordena mal as plantações e zela por elas, alheia a tudo, cumpre a sua função: embelezar de graça e graciosamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário